Arquivo do mês: junho 2013

JU-ROS


12 de Junho de 2013 – 20 anos de José Aparecido de Oliveira

República do Corinthians

12 de Junho de 1993, dia dos namorados, frio na capital Paulista, Palmeiras a trocentos anos sem ganhar um titulo.

Lembro-me como se fosse ontem, um sábado de frio (bons tempos que os jogos eram realizados de sábado), tinha 13 anos, acordei, lavei o rosto e comecei meu ritual para ir assistir a final do Campeonato Paulista de 1993.

Estava em Campo Belo (MG) na terra do meu pai, puto da vida, pois queria estar no Estadio do Morumbi para assistir ao jogo com meus amigos, afinal, tinha ido no primeiro jogo com a mesma turma Becker, Jürgen, Klaus, Fabio, Marcelo e Diego

Na época, não tinhamos telefones celulares, para trocar mensagens, não tinhamos cameras digitais, mas tinhamos amor ao Corinthians.

Neste dia, descobri que como o futebol é desonesto, que existem pessoas mal intencionadas, ruins de apito e que hoje são vangloriadas, aplaudidas e muitas vezes perdoadas.
Lembro-me deste…

Ver o post original 306 mais palavras


20 anos de um título que o Palmeiras deve a seus jogadores e, talvez, a Brunoro

Blog do Paulinho

Há vinte anos, o Palmeiras saiu de um incomodo jejum de títulos ao bater seu principal rival, o Corinthians, por três a zero no tempo normal, e depois um a zero na prorrogação.

Não há dúvida de que a equipe do Verdão era melhor, porém, mesmo assim, ações de José Carlos Brunoro nos bastidores contribuíram, e muito, para a conquista.

Declarações de diversos profissionais da arbitragem à época, além de algumas testemunhas próximas ao dirigente palmeirense, garantem que o juiz do jogo, José Aparecido de Oliveira, estava na gaveta.

Fato é que Oliveira teve uma arbitragem no mínimo polêmica, e não foi o primeiro a ser escalado para a partida.

Oscar Roberto de Godoi e Dionísio Domingos, além de Ulisses Tavares da Silva tinham a promessa de que um deles apitaria a final.

De repente, após a vitória do Corinthians no primeiro jogo da decisão, por um a zero, e…

Ver o post original 240 mais palavras


Campeonato Brasileiro 2013 – 4° rodada – Cruzeiro (MG) x Corinthians – Ficha técnica do jogo

República do Corinthians

Quarta feira, no maravilhoso, sensacional, estupendo, ótimo, incrivel, místico, indescritivel horário das 22h (10pm) o Sport Club Corinthians Paulista entrará em campo pela 5.377°  vez em sua história, desta vez para enfrentar o Cruzeiro Esporte Clube, time da cidade de Belo Horizonte (MG), em jogo válido pela 4° rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol 2013 á ser realizado no Estádio Joaquim Henrique Nogueira – Arena do Jacaré em Sete Lagoas (MG) a ser realizado no dia 05 de junho de 2013.

Vamos fazer nosso 35° jogo no ano com  15 vitórias, 14 empates, 4 derrotas, 48 gols pró, 22 gols contra
Vamos fazer nosso 4° jogo no campeonato brasileiro com uma vitória, dois empates, 03 pró e 02 contra. Levamos 5 cartões amarelos

Na história do Campeonato Brasileiro (inclusive Torneio Roberto Gomes Pedrosa):
Vamos jogar pela 1.182° vez com 505 vitórias; 343 empates; 333 derrotas; Marcamos 1.589…

Ver o post original 1.048 mais palavras


Verdadeira história do ‘Tabu’ de 11 anos!

 Tabu: Santos ficou 11 anos sem perder para o Corinthians no Paulistão

Caros amigos, o Corinthians ficou onze anos sem vencer a equipe do Santos, em partidas que se referem ao campeonato paulista.
Durante o período de 1957 e 1968, Santos e Corinthians fizeram 22 partidas pelo campeonato estadual, com 16 vitorias da equipe santista e 06 empates.

Porém, neste período o Corinthians venceu o Santos quatro vezes:
27 / 03 / 1958: Corinthians 2 x 1 Santos – Torneio Rio São Paulo
21 / 03 / 1960: Corinthians 2 x 1 Santos – Torneio Rio São Paulo
29 / 03 / 1961: Corinthians 2 x 0 Santos – Torneio Rio São Paulo
16 / 06 / 1962: Corinthians 3 x 1 Santos – Taça  São Paulo.

O jogo que encerrou o jejum de vitórias do Corinthians, foi realizado no dia 06 de março de 1968 no Pacaembu. Como sempre por ocasião dos jogos entre estas duas equipes, a imprensa fazia um grande alarido sobre o “tabu”, visando principalmente ganhar audiência.

Até aquela data, o Corinthians já estava 11 anos e 22 partidas sem ganhar do Santos, em jogos válidos pelo Paulistão. Um tabu que vinha desde os 3 a 3 em 1957, quando o Timão conquistou a Taça dos Invictos e jogou pela primeira vez contra o Rei Pelé.

Naquela noite, contando com os novos reforços Paulo Borges, Bulão e Eduardo, além do técnico Lula (ex-Santos), o Corinthians entrou em campo determinado e pronto para passar pelo difícil e até então, imbatível Santos de Pelé. No primeiro tempo, o jogo terminou empatado. O grande destaque foi o zagueiro Luis Carlos, que fez uma marcação implacável no Rei.

Lance do jogo em 1968: Paulo Borges, caído
entre Ramos Delgado e Joel

O time do Santos não conseguiu reeditar as grandes atuações que vinha fazendo naquele ano. Perdeu algumas chances, principalmente quando já estava 1 x 0, com Pelé cara a cara com o goleiro e chutando no poste.

No segundo tempo, o Corinthians começa pressionando e Rivelino chuta uma bola na trave. Logo depois, aos 13 minutos, Paulo Borges faz 1 a 0, após uma tabela com Flávio. Melhor em campo, o Timão segue firme em busca do objetivo. Aos 31 minutos, Rivelino lança Flávio, que aproveita a chance e aumenta: 2 a 0.

Fim do tabu, mas quem ficou com o título paulista de 1968 foi o Santos, sagrando-se Bi-Campeão com 04 rodadas de antecedência. A partir de 1969, para evitar que o campeonato perdesse o interesse pelo fato de algum time sagrar-se campeão com muita antecedência, o Paulistão deixou de ser por pontos corridos.
De nada adiantou mudarem a fórmula, pois em 1969, o Peixe sagrou-se Tri- Campeão Paulista.

Abaixo, o vídeo do jogo da quebra do ‘tabu’

 
FICHA TÉCNICA


CORINTHIANS: Diogo, Osvaldo Cunha, Ditão, Luís Carlos (Clóvis) e Maciel; Édson Cegonha e Rivelino; Buião, Paulo Borges, Flávio e Eduardo. Téc.: Lula

SANTOS: Cláudio, Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Joel (Oberdã) e Rildo; Lima e Negreiros; Kaneko, Toninho, Pelé e Edu. Téc.: Antoninho

Local: Estádio do Pacaembu – São Paulo (SP)
Data: 06/03/1968
Árbitro: Roberto Goycochea (Argentina)

Público: Não disponível Renda: NCr$ 153.390,50 Gols: Paulo Borges (13 – 2º) e Flávio (31 – 2º)


%d blogueiros gostam disto: